Colunistas

enhanced by Google
 

Mauro Marcelo

O estilo de vida a partir da gastronomia, do vinho e outras experiências

É jornalista, crítico gastronômico, escritor e chef de cozinha. Especialista em vinhos, foi também editor do Guia 4 Rodas e da revista Gula

Comer à francesa é cultura

Inédito na história da gastronomia: Unesco reconhece a “refeição gastronômica francesa” como Patrimônio Imaterial da Humanidade

20/11/2010 07:42

  • Mudar o tamanho da letra:
  • A+
  • A-

Foto: Divulgação /Domaine Auriac

A elegância da tradição francesa

Nunca antes a prática em torno dos alimentos e da cozinha havia sido reconhecida assim. Reunido em Nairóbi, Quênia, o Comitê Intergovernamental da UNESCO reconheceu no dia 16 de novembro de 2010 que o jeito de comer dos franceses é, sim, um elemento de civilização.

O interessante é que não se trata de premiar a cozinha francesa como tal, mas a forma como os habitantes do país se comportam à mesa, o seu ritual caracterizado pela sequência de entradas, pratos, queijos e sobremesas, servidos com louças, talheres e taças adequados, com especial atenção à apresentação e à harmonia com os vinhos. E até mesmo a preocupação em distribuir bem os convivas à mesa, com aquelas plaquinhas indicando o nome e o lugar onde devem se sentar. Tudo contribuindo para o prazer de todos e valorizando o que chamam apropriadamente de l’art de la table.

Foto: Divulgação Julie&Julia /Amazon Books

Julia Child, interpretada por Meryl Streep, não ficou imune à l’art de la table


Para a Unesco, isso reflete “um sentimento de identidade e continuidade, contribuindo para promover o respeito pela diversidade cultural e a criatividade humana.” Isto é, a refeição gastronômica estimula o círculo famíliar e consolida os amigos, reforçando os laços sociais.

Jean-Robert Pitte, presidente da Universidade de Paris IV - Sorbonne - e da Missão Francesa do Patrimônio e Culturas Alimentares (MFPCA), fez esta definição: "A refeição gastronômica é parte da identidade profunda do povo francês. Ela existe em muitos outros países. Mas nós temos uma forma específica de gastronomia, com esse casamento de comida e vinho, a sucessão de pratos, esta maneira de pôr a mesa, de falar sobre a gastronomia, que são especificamente francesas".

Foto: Divulgação /Atout France

A escolha dos queijos, ponto fundamental da refeição


Meu interesse por comida e vinho, assim como a de muitos estrangeiros, como a famosa americana Julia Child, nasceu justamente na França, quando lá morei, ao perceber um respeito quase sagrado dos franceses pelas tradições culinárias do país. São capazes de discorrer prazerosamente sobre os pratos servidos e dedicar-se na busca do melhor vinho para acompanhá-los. E, principalmente, prestam atenção ao que comem e bebem, em refeições sem pressa que se tranformam em gestos repetidos de bem-estar. Uma lição nesse frenético mundo em que vivemos.


 

 

 

 

 

Sobre o articulista

Mauro Marcelo - canalluxo@ig.com.br - É jornalista, crítico gastronômico, escritor e chef de cozinha. Especialista em vinhos, foi também editor do Guia 4 Rodas e da revista Gula

» Mais textos deste articulista

    Notícias Relacionadas



    Ver de novo