Colunistas

enhanced by Google
 

Mauro Marcelo

O estilo de vida a partir da gastronomia, do vinho e outras experiências

É jornalista, crítico gastronômico, escritor e chef de cozinha. Especialista em vinhos, foi também editor do Guia 4 Rodas e da revista Gula

Dez águas minerais com gás e uma surpresa

Degustação das principais marcas disponíveis no mercado brasileiro revela detalhes curiosos de gosto e aroma das águas que bebemos

07/05/2011 07:57

  • Mudar o tamanho da letra:
  • A+
  • A-
Compartilhar:

É possível que duas águas minerais famosas e de mercado garantido em meio mundo fiquem em lados opostos numa degustação às cegas, entremeadas por águas brasileiras? Uma, a italiana San Pellegrino, ficou em primeiro lugar. E a francesa Perrier em último. Sim, é possível que isso aconteça, sem, contudo, concluir que essa última não é boa. Vamos ver a razão.

Foto: David Santos Jr, Fotoarena

Com gás e para gostos diferentes: refrescantes, neutras, terrosas ou lembrando água de coco


Reunimos 10 águas minerais com gás à venda em dois supermercados tradicionais de São Paulo - Casa Santa Luzia e Empório Santa Maria - que costumam apresentar uma variedade maior de águas brasileiras e estrangeiras. Preferimos degustar as águas com gás, pois não há sentido em misturá-las com as naturais (seria a mesma coisa que juntar vinhos brancos e espumantes em uma mesma prova).

O que se espera de uma água com gás é que ela expresse todo o seu frescor através da mineralidade e de uma gaseificação bem balanceada - com carbonatação natural ou artificial. E que não apresente aroma e gosto que alterem sua neutralidade. Em suma, deve prevalecer o frescor.

Foto: David Santos Jr, Fotoarena

San Pellegrino, com todas as características de uma água com boa mineralidade


A San Pellegrino mostrou essas virtudes, com bolhas de boa persistência. Em seguida, as brasileiras Minalba Premium e São Lourenço, refrescantes, neutras e bem carbonatadas.

Com pontuação intermediária a Ouro Fino Red (neutra e fresca), Crystal, Prata, Crystal Vip e Nestlé Pureza Vital, essas quatro curiosamente lembrando água de coco ao olfato e paladar, de forma suave, e ainda a Petrópolis (água de São Paulo), um pouco pesada.

Foto: David Santos Jr, Fotoarena

A Ouro Fino Red tem apresentação diferente, que se destaca nas prateleiras

Ao verificar minhas pontuações e anotações, a surpresa: a celebrada Perrier causou uma impressão esquisita diante das demais, com aroma terroso, ligeiramente picante e até com certo amargor ao final. Talvez tenha sido a mais “natural” de todas, ao expressar as características físico-químicas da fonte de onde jorra, em Vergèze, na Provence (França), com predomínio de cálcio, sulfato, sódio e magnésio. As melhores brasileiras mostraram-se mais refrescantes, só isso.

Conclusão: o Brasil, quarto maior produtor mundial, está muito bem servido de águas minerais.


Foto: David Santos Jr, Fotoarena

Minalba Premium, água tradicional e bem avaliada na degustação


Confira o ranking das águas minerais com gás:

1º - San Pellegrino

2º - Minalba Premium

3º - São Lourenço

4º - Ouro Fino Red

5º - Crystal

6º - Prata

7º - Crystal Vip

8º - Nestlé Pureza Vital

9º - Petrópolis

10º Perrier
 

Sobre o articulista

Mauro Marcelo - canalluxo@ig.com.br - É jornalista, crítico gastronômico, escritor e chef de cozinha. Especialista em vinhos, foi também editor do Guia 4 Rodas e da revista Gula

» Mais textos deste articulista

    Notícias Relacionadas



    Ver de novo