Arte, gastronomia e aconchego no Le Royal Monceau

Áreas comuns deslumbrantes, quartos intimistas e muitas obras de arte no hotel de 1928 renovado por Philippe Starck, em Paris

Por Mariane Morisawa, especial para o iG São Paulo |

O número 37 da avenida Hoche, no 8ème arrondissement, em Paris, abriga o hotel Le Royal Monceau desde 1928. Pelo prédio imponente e elegante já passaram nomes como Josephine Baker, Gene Kelly, Sophia Loren e Sofia Coppola. Ray Charles fixou residência por alguns meses por ali e no mesmo endereço ficou decidida a criação do Estado de Israel, em 1948.

Philippe Garcia/LaSociétéAnonyme
O hotel de 1928 foi renovado pelo designer Philippe Starck

Pois agora o hotel, reaberto na segunda-feira (18), espanou toda a poeira que podia ter se acumulado pelos cantos, numa reformulação conduzida pelo designer Philippe Starck em parceria com o empresário Alexandre Allard para a Raffles Hotels.

O conceito alia palavras como arte e cultura, aconchego de casa e lugar de encontros. Um curador, Hervé Mikaeloff, está encarregado de escolher as obras que se espalham pelos espaços. Algumas foram encomendadas especialmente, como uma instalação da portuguesa Joana Vasconcelos, que está no jardim, e as esculturas inspiradas em troféus de caça feitas pelo artista russo Nikolas Polissky, no primeiro andar. Uma coleção de 285 fotografias foi formada para adornar quartos e suítes.

O hotel também acolherá quatro exposições por ano, cada uma concebida em conjunto com um artista convidado. Uma galeria chamada Distrito da Arte e uma livraria com mais de 700 títulos de arte e arquitetura também são parte fundamental do projeto. Um cinema de 100 lugares, com atmosfera sóbria, vai abrigar premières de filmes.

Ao mesmo tempo, a ideia é que o hóspede, residente ou visitante sinta-se na casa de alguém. Principalmente nos quartos, que parecem já terem sido habitados e possuírem uma história. Vários foram inspirados no escritório do escritor André Malraux, que gostava de espalhar objetos, livros, jornais e cartas inspiradores. Muitas vezes, uma cadeira substitui a mesa de cabeceira, com objetos empilhados, como se faz em casa. No total, são 84 quartos com tamanhos entre 35 m² e 50 m² e 54 suítes entre 55 m² e 118 m², além de dez apartamentos superiores entre 119 m² e 380 m².

Philippe Garcia/LaSociétéAnonyme
Suíte preparada para o hóspede sentir-se em casa

Mais privacidade a poucos passos

Num edifício anexo, no número 41 da mesma avenida, ficam três apartamentos e duas suítes presidenciais. O prédio todo, de cinco andares, pode ser privatitivo – há entrada separada, uma cozinha e sala de ginástica próprias, além dos serviços do hotel. Entre as atrações, piscina com piso de vidro no jardim; Kids Club e, em breve, um spa com serviços e produtos customizados da linha exclusiva My Blend, do grupo Clarins, e uma loja conceito criada por Armand Hadida.

O estilo mais discreto e relaxante dos quartos contrasta com o das áreas comuns, feitas mesmo para surpreender e deslumbrar. Já na entrada, Starck substituiu o tradicional lobby pelo Grande Salão, um corredor com pequenas alcovas, onde estão expostos objetos e obras de arte.

Philippe Garcia/LaSociétéAnonyme
O Fumée Rouge acolhe 12 apreciadores de charutos
No Bar Long, cristal, vidro e espelhos emolduram a mesa comprida, estreita e alta, colocada no centro do ambiente para que os frequentadores conversem.

Discrição e aconchego na hora de jantar

Também há uma mesa comunitária, de 16 lugares, no restaurante francês La Cuisine, com cozinha aberta, como se fosse a casa de um amigo. Mas os mais discretos podem se acomodar em espaços reservados, além das mesas no terraço do jardim, disponíveis entre maio e setembro.

No restaurante, também ficam espalhados livros, objetos e obras de arte. O menu do jantar inclui pratos para compartilhar. O chef executivo Laurent André preparou um cardápio leve, com muitas ervas e especiarias cultivadas na horta desenhada por Louis Benech.

Já o restaurante italiano Il Carpaccio tem decoração inspirada no barroco siciliano, com uma tapeçaria gigante bem colorida e pinturas a óleo espalhadas pelo ambiente. As mesas ficam próximas umas das outras, também para criar uma atmosfera aconchegante. O jardim de inverno foi decorado no estilo dos palácios da Sicília. Em breve, haverá uma área mais íntima e neutra para os habitués. O chef Roberto Rispoli inspira-se em pratos tradicionais e familiares de várias regiões do país.

Philippe Garcia/LaSociétéAnonyme
La Cuisine, restaurante francês do hotel

Pâtisserie assinada por Piere Hermé

Ainda na área gastronômica, o chef pâtissier Pierre Hermé é parte fundamental da revitalização do Royal Monceau. Ele é o responsável pelo iogurte caseiro, pãezinhos, waffles, crepes e panquecas do café da manhã.

A pipoca e outras guloseimas do cinema des Lumières também tem sua marca, assim como as sobremesas do Kids Club (sanduíches de sorvete e mousse de chocolate, por exemplo) e os quitutes disponíveis no Le Bar Long e no Grand Salon.

Nos restaurantes, Hermé criou sobremesas especiais. No La Cuisine é possível escolher entre mais de 20 combinações de massa, recheio e cobertura de milfolhas. No Il Carpaccio, fez releituras de doces italianos tradicionais, como a panacotta (que aqui leva frutas vermelhas prensadas, granité de chocolate branco e um waffle fino e leve de limão) e o tiramisù (em que o creme de mascarpone ganha companhia de geleia de chocolate e sablé de chocolate com flor de sal). São detalhes que tornam a experiência ainda mais especial.


Serviço:
Le Royal Monceau
Raffles Paris – 37 Avenue Hoche, 75008, Paris
Tel: +33 1 42 99 88 00


    Leia tudo sobre: Le Royal MonceauhotelLondresPhilippe Starck

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG