Pronto para decolar

Jaguar C-X75 tem tecnologias inspiradas na aviação como aerofólios móveis e duas microturbinas que giram a 80 mil RPM

Amadeo Gattieri, especial para iG São Paulo

À primeira vista, o C-X75 é um típico Jaguar. O carro ostenta as linhas suaves e a aparência felina que sintetizam o estilo da marca. Mas por baixo desse aspecto conservador se esconde um dos carros mais ousados dos últimos anos. Em vez do tradicional motor V8, o C-X75 tem quatro motores - todos elétricos -, com 195 CV de potência cada um, montados diretamente sobre as rodas . Ao todo são 780 CV, que fazem do Jaguar o veículo elétrico mais potente de todos os tempos.


Conheça o Jaguar XKR75 , feito para comemorar os 75 anos da marca.


Mas sua lista de inovações tecnológicas vai muito além disso. No lugar do motor a gasolina que serve de apoio nos carros híbridos , o C-X75 tem duas microturbinas movidas a gás. Elas giram a 80 mil rotações por minuto (quatro vezes mais do que um motor de Fórmula 1) e produzem a energia necessária para alimentar as baterias, poluindo menos do que os motores convencionais. Além disso, as microturbinas são leves - pesam apenas 35 kg cada uma. Essa combinação de fatores ajuda o carro a alcançar 330 km/h e rodar até 900 km a cada recarga.

De 0 a 100 km/h em 3,4 segundos
A aerodinâmica do carro também é inovadora. Como outros supercarros , o C-X75 usa aerofólios móveis, que sobem ou descem conforme a velocidade do veículo. A diferença é que eles ficam escondidos embaixo do carro e direcionam o ar que passa por ali, gerando um efeito aerodinâmico que deixa o C-X75 praticamente grudado ao solo. A solução foi adotada para não "sujar" o visual do carro.

Para manter a pureza do design, o C-X75 também não tem espelhos retrovisores. Eles foram substituídos por microcâmeras. As imagens podem ser vistas no painel de instrumentos em estilo superfuturista. Composto por duas telas de LCD, ele também mostra dados como a carga das baterias e a velocidade das turbinas. Mas, ao apertar de um botão, pode se transformar num painel clássico, que reproduz os instrumentos do Jaguar D-Type, dos anos 50.

Divulgação
Para não poluir as linhas do C-X75, o aerofólio traseiro foi instalado embaixo do carro

O sistema de som é formado por uma película composta por dezenas de microalto-falantes, que cobrem todo o revestimento das portas. Uma tecnologia nova e exclusiva, desenvolvida pela empresa inglesa Bowers & Wilkins .

O Jaguar C-X75 fez tanto sucesso ao ser apresentado pela primeria vez em Paris, em 2010, que a empresa já estaria estudando sua produção comercial.

Conheça detalhes do lançamento deste carro.


Serviço:

Jaguar


    Leia tudo sobre: JaguarC-X75Jaguar D-Typecarromotorhíbrido

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG