O segredo das piscinas de borda infinita

Por Bruna Bessi , iG São Paulo

compartilhe

Tamanho do texto

Saiba como criar o efeito que aumenta a conexão da água com o meio ambiente e já se tornou sinônimo de luxo na área de lazer

Não à toa o nome dado às piscinas cuja água parece sumir no horizonte é infinita. A sensação de amplitude obtida pelo transbordamento em uma das laterais estabelece mesmo uma conexão maior com o meio ambiente. Daí a importância de se ter uma paisagem tão surpreendente quanto o próprio desenho da estrutura para completar o conjunto. Haja vista alguns exemplos da galeria de fotos, abaixo. “O maior benefício desse tipo de projeto é a vista panorâmica. Ela confunde a água com o céu, o jardim, o mar e até as montanhas”, afirma Adriana Morávia, arquiteta. Mas não é qualquer terreno que suporta tal arquitetura. A profissional ressalta que o local deve ter, no mínimo, trinta metros quadrados de área.

Leia mais: St. Barth não é paraíso possível apenas para milionários

A cor azul da piscina combina com o do céu e deixa o projeto, do arquiteto Leonardo Junqueira, com piscina de borda infinita ainda mais bonito. Foto: DivulgaçãoA piscina projetada por Márcio Kogan recebeu estrutura de pedra e acabamento de borda infinita. Foto: DivulgaçãoNo detalhe, a estrutura de segurança que funciona também como uma espécie de reservatório da água que transborda. Foto: DivulgaçãoA piscina do hotel Nandana Villa, nas Bahamas, integra-se com o mar ao fundo. Foto: DivulgaçãoO arquiteto Maurício Queiróz apostou na borda infinita para garantir a sensação de amplitude da área externa. Foto: DivulgaçãoA piscina com borda de fundo infinito tem vista privilegiada no hotel Paresa Phuket, na Tailândia. Foto: DivulgaçãoA água que transborda da piscina aumenta a sensação de amplitude e a conexão com a natureza. Projeto do Maia Luxury Resort & Spa, nas ilhas Seychelles. Foto: Divulgação/Maia Luxury Resort & SpaApenas uma borda da piscina, projetada pela arquiteta Flávia Soares, foi planejada para que a água transbordasse. Foto: DivulgaçãoA piscina do hotel Viceroy Bali conta com borda infinita para reforçar a vista surpreendente do rio Petanu. Foto: DivulgaçãoO arquiteto André Luque usou verde como tonalidade predominante para entrar em harmonia com a vegetação ao fundo. Foto: DivulgaçãoÉ fundamental que o espaço reservado para a água que transborda seja capaz de abrigar alguém que tente, por engano, sair da piscina por este lado. Foto: DivulgaçãoA piscina da foto é totalmente conectada com a natureza e possui quase todos os lados com borda infinita. Foto: DivulgaçãoA piscina de borda infinita tem no formato orgânico seu ponto alto. Projeto de João Marques. Foto: DivulgaçãoO ambiente atrás da borda infinita é sempre muito importante para a garantia da sensação de infinitude. Foto: DivulgaçãoO material usado para a construção de uma piscina com borda infinita é o mesmo do das outras. O importante é a segunda borda ser dois centímetros mais baixa. Foto: DivulgaçãoA piscina de borda infinita complementa a arquitetura sem precedentes do hotel Alila Villas Uluwatu, em Bali. Foto: DivulgaçãoA piscina de borda infinita do hotel, localizado nas Maldivas, tem três lados aptos para que a água transborde. Com isso, o efeito é potencializado. Foto: DivulgaçãoO deck oferece uma bela paisagem junto à piscina de borda infinita. A cor da água entra em harmonia com o céu refletido. Foto: DivulgaçãoO efeito da borda infinita pode ser prejudicado quando o entorno não favorece. O ideal é que haja a continuidade do caminho da água. Foto: DivulgaçãoA piscina projetada pelo arquiteto Bruno Erpicum parece flutuar sobre a paisagem do litoral espanhol. Foto: Divulgação

O efeito de imensidão é conseguido, na verdade, por meio de um truque realizado durante a construção da piscina. Uma estrutura mais baixa que a oficial (cerca de dois centímetros menor) é construída ao lado de onde haverá o transbordamento, criando um vão, de modo a receber a água excedente sem ser percebida. Um sistema de filtragem é instalado no fundo da calha para que a água captada possa voltar ao reservatório principal. “A construção terá ainda melhores resultados quando o terreno apresentar declive e a piscina ficar no lugar mais alto”, diz Vivi Cirello, arquiteta.

Por segurança, a parede externa da calha deve ter cerca de vinte centímetros de largura, para que não haja riscos caso alguém decida sair da água por esse lado (o que não é indicado). “A estrutura de recuo é o ponto mais caro do projeto”, afirma a arquiteta Flávia Soares, que estima custo em torno de R$ 2 mil por metro quadrado nesse tipo de estrutura. Isto é, valor 15% acima do de um projeto de piscina convencional.

O efeito infinito ainda pode ser acentuado pelo contato de ao menos uma borda com o terreno (o que também ajuda na segurança) e pelo uso de revestimentos em cores semelhantes à da tonalidade predominante no ambiente. Isso significa que na presença do mar ao fundo, o ideal é abusar do azul escuro, já na da montanha, adotar algo esverdeado dará melhor resultado. O estilo de arquitetura da casa também deve ser observado e seguido no momento de estabelecer a estética da piscina. Entretanto, as especialistas ressaltam que o ar moderno – repleto de geometria e linhas retas – é o mais recomendado para obter o resultado desejado.

Saiba mais:

Hospede-se em um hotel que foi cenário de filme

Empresa de Philippe Starck busca projetos no Brasil

Dubai ganha hotel subaquático e resort com praia privativa

Leia tudo sobre: piscinaborda infinitaefeitoáguaverãomaislidasEspecial Verão

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas