Arte pintada em nós de seda selvagem

Tapetes se transformam em delicadas aquarelas para iluminar o piso no Fort Street Studio

Mariane Morisawa, especial para o iG

Divulgação
As peças são tecidas manualmente com seda selvagem do Norte da China
Tapetes , há os mais diversos. Mas o Fort Street Studio, de Nova York , faz exemplares com cuidado raro. Para começar, eles usam seda selvagem Dandong, do Norte da China . Por quê? Essa seda não é cultivada em fazendas, mas colhida a mão nas florestas de carvalho da região. Como na natureza ficam desprotegidas do clima, suas fibras são mais densas e resistentes, o que torna esses tapetes feitos um a um por artesãos chineses mais duráveis, menos brilhantes e com textura suave como a do cashmere.

A história da empresa começa em 1989. O casal de artistas Janis Provisor e Brad Davis era apaixonado pela arte chinesa. Naquele ano, fizeram uma viagem a Hangzhou (próximo a Xangai) para aprender um pouco dos métodos tradicionais de gravura. Ficaram encantados – era a época das manifestações em Tiananmen, e um ar de transformação pairava no ar. Pensaram em se mudar para lá, mas eram pais de um menino pequeno, com casas no Colorado e em Nova York para cuidar.

Quatro anos mais tarde, a crise econômica ofereceu a chance ideal de ir novamente a China. Em Hangzhou, importante centro da indústria de tapetes do país, o interesse de Davis pelo assunto, que já existia, só aumentou. A ideia da dupla era fazer tapetes inspirados nas aquarelas e abstrações de cores fluidas. Foi difícil. Uma ex-proprietária de fábrica de tapetes disse que os 40 desenhos apresentados eram impossíveis de confeccionar. Davis então procurou um especialista em software em Hong Kong , para onde a família se mudou, para criar um jeito de colorir cada nó de um tapete por vez – e há mais de 1,5 milhão de nós num exemplar de 2,74 m x 3,66 m.

Foram necessários mais dois anos de pesquisa com cores e tinturas para que tudo saísse como queriam. Em 1996, o primeiro pedido de 21 tapetes, três de cada um dos sete desenhos, chegou. Nasceu, assim, o Fort Street Studio, transferido em 2002 para Nova York.

Hoje, tem showrooms em Los Angeles e Hong Kong, além de um representante em Milão , e clientes famosos como Madonna e Jennifer Aniston. Suas peças vão dos modelos mais básicos, com desenhos discretos, aos mais modernos, com cores fortes, além de uma releitura de padrões tradicionais. A edição especial, chamada Glimmering, é inspirada no reflexo da luz na água e no céu. Tem de 120 a 150 nós por linha e fios de ouro.

Os tapetes do Fort Street Studio vêm em tamanhos padrão de 1,83 m x 2,74 m; 2,44 m x 3,05 m; 2,74 m x 3,66 m e 3,05 m x 4,27 m e custam entre US$ 11 mil e US$ 29 mil. Peças com dimensões e cores diferentes podem ser encomendadas.

Serviço:
Fort Street Studio
The Prince Building, 578 Broadway, suíte 506
Nova York, 10012
Tel: 1 212-925-5383

    Leia tudo sobre: fort street studiotapeteglimmeringseda

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG