Os melhores drinques de Paris

Estivemos nos bares dos hotéis mais luxuosos da capital francesa para descobrir com qual coquetel vale a pena brindar

Alline Cury, especial para o iG de Paris |

Os bares dos hotéis luxuosos de Paris estão na rota daqueles que gostam de se divertir e bebericar. Dentre tantas opções na cidade, selecionamos os cinco melhores coquetéis desses tradicionais pontos de encontro. Tem drinques clássicos, modernos e até o mais caro do mundo. Escolha o seu favorito e... “santé”.

1- Rose Royale, no Le Bar du Plaza Athénée

Divulgação
Rose Royale, que leva framboesa e champagne, é a pedida certeira no bar do Plaza Athénée
No coração do Triangle d'Or, o bar do hotel Plaza Athénée é o lugar ideal para quem quer ver e ser visto.

Decorado por Patrick Jouin, antigo colaborador de Philippe Starck, em 2001, o ambiente respeita as heranças clássicas do local - as paredes de madeira e a lareira rococó foram conservadas -, mas conta com um toque moderno nos móveis, decoração e detalhes.

Quem comanda o espaço é Thierry Hernandez, diretor do Bar du Plaza Athénée há 25 anos, que se declara apaixonado pela clientela brasileira. "Adoro os clientes do Brasil que frequentam o Plaza. Além de serem muito educados, estão sempre bem-vestidos, chiques e elegantes. São os meus favoritos."

A carta do Bar du Plaza Athénée propõe drinques clássicos e outros superinovadores. Rose Royale é o carro chefe e, apesar da receita parecer um pouco óbvia, Thierry garante que este é o melhor coquetel de framboesa com champanhe do mundo.

Para a clientela jovem, descolada e exigente é oferecido drinques diferenciados, como o sorvete alcoólico Fashion'Ice, os sushis Plaza Colada e Jelly Shots.

2 - Bellini, no Le Bar 228, no Le Meurice

Divulgação
O clássico Bellini é recomendado no Le Bar 228, do hotel Le Meurice
O Le Meurice é o hotel palácio mais tradicional e antigo de Paris. Por isso, nada mais natural que seu bar seja um lugar emblemático e cheio de história.

Reformado por Philippe Starck e sua filha, Ara Starck, em 2007, a decoração do Bar 228 (número do hotel na Rue de Rivoli) tem atmosfera aconchegante e elegante, parecida com um clube britânico.

Há 32 anos trabalhando no hotel, William Oliveri é o chef barman desde 1992. Nascido na Itália, ele conta como ninguém histórias curiosas que vivenciou servindo o pai do surrealismo, Salvador Dali, e o rei espanhol Alfonso XIII, ambos habitués do Le Meurice.

"Nossa profissão vê e escuta muitas histórias, mas tenho um código de ética de não falar nada dos nossos clientes. Conto algumas de Dali e do rei da Espanha, pois já não estão mais aqui."

No menu do Bar 228 estão mais de 300 bebidas: uma dezena de Dry Martinis, coquetéis com champanhe, criações exclusivas e ainda muitas opções sem álcool (até smoothie de açaí).

Dentre tantas possibilidades, a preferida do chef Oliveri é o tradicional Bellini. Segundo ele, o melhor de Paris. Também vale a pena experimentar o Cocktail Starck à base de champanhe, gengibre fresco e folhas de menta.

3- Crazy Horse, no Le Bar du Bristol

Divulgação
Servido no bar do Bristol, o Crazy Horse faz homenagem a um cabaret parisiense
Localizado na rue du Faubourg Saint Honoré, burburinho fashion da "rive droite", o bar do hotel Le Bristol é frequentado por uma clientela cosmopolita, mesclando artistas com estilistas, executivos, parisienses do mundo da moda e turistas que fazem compras pela região.

Na lista de hóspedes célebres do cinco estrelas estão Charlie Chaplin, Marylin Monroe, Harry Truman e Grace Kelly, só para citar alguns.

Pascal Havel é quem dirige o Bar du Bristol e conta ao iG Luxo como tudo funciona. "O bar é dividido em dois ambientes. O lado inglês é mais tradicional, com mesas e cadeiras, e o Salon Marie-Antoniette propõe cantinhos intimistas, com sofás e poltronas confortáveis."

A carta do bar tem coquetéis variados e originais, como o Crazy Horse e Dolce Vita. O primeiro, criado em homenagem ao cabaré francês, mistura morango, licor de banana e champanhe. O italiano Dolce Vita leva champanhe, framboesa e limoncello.

O menu ainda propõe opções para almoço e jantar, elaborados pelo chef de cozinha estrelado, Eric Frechon.

4- Baccarat, no Bar du Crillon

Divulgação
A sugestão do barman Philippe Olivier é o drinque Baccarat, à base de champanhe rosé e Grand Marnier
Desenhado pelo escultor francês César e decorado pela estilista Sonia Rykiel, o Bar du Crillon é sem dúvida o mais associado à moda na capital francesa. Culpa da localização privilegiada, que é um convite irrecusável para um drinque pós comprinhas nas boutiques descoladas e luxuosas do entorno.

Outra relação forte com a moda é o fato da grife francesa Balenciaga escolher um dos salões mais luxuosos do hotel para os seus desfiles há muitos anos.

Para completar a saga fashion, desde a primeira temporada de moda parisiense deste ano, o Bar du Crillon foi escolhido pela revista Vogue francesa para ser o Le Bar Vogue da Paris Fashion Week.

"Mudamos a decoração do bar, colocamos imagens dos ensaios da revista nas paredes, preparamos um menu com drinques especiais e transmitimos os desfiles moda", explica o chef barman Philippe Olivier.

Dentre todas as criações exóticas, short drinks, long drinks e coquetéis au champagne da carta de bebidas, a indicação de Philippe Olivier é o drinque Baccarat, à base de champanhe rosé, suco de limão, Grand Marnier e essências aromáticas. Para quem prefere algo mais forte a pedida é o Rose du Crillon, com vodka, xarope de rosas, suco de maça e essências aromáticas.

5- Side Car, no Bar Hemingway, Ritz

Divulgação
Na carta do Bar Hemingway, no hotel Ritz, está o Side Car, considerado o drinque mais caro do mundo
Em plena Place Vendôme, mais precisamente no Hotel Ritz, está o Bar Hemingway, provavelmente o mais famoso de todos. Nomeado em homenagem ao assíduo freqüentador, o escritor Ernest Hemingway, o bar do Ritz é o preferido no meio literário.

Desde a sua criação, em 1898, grandes pensadores - como Marcel Proust, Oscar Wilde, F. Scott Fitzgerald, Truman Capote, Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir - frequentavam o espaço para buscar inspiração mergulhados na decoração mágica do hotel.

Prova de que o local tem realmente uma ambience incomparável é a história dos esforços que Hemingway fazia, no final dos anos 20, para tomar drinques no bar. Nessa época o escritor economizava durante toda a semana para poder beber no bar, pelo menos uma vez por semana. "Quando se está em Paris, a única razão de não frequentar o Ritz é a falta de meios", dizia ele.

O Bar Hemingway propõe uma grande seleção de whiskies puro malte, vinhos do porto millésimés e drinques clássicos, dentre eles o Side Car, eleito pelo Guinness Book em 2001 o coquetel mais caro do mundo, quando custava 400 euros. Criado em 1923 por Franck Meier, primeiro chefe barman do Ritz, o drinque era servido na época por apenas US$ 5. Hoje, quem quiser degustar a mistura de suco de limão com um excepcional Cognac Fine Champagne (produzido entre 1830 e 1870) tem que estar preparado para desembolsar 1250 euros.


Veja outras fotos dos bares de hotéis em Paris :


SERVIÇO:
Le Bar du Plaza Athénée
Hotel Plaza Athénée
Avenue Montaigne, 25
Tel: 00 33 (0) 1 5367 6665

Le Bar 228
Hotel Le Meurice
Rue de Rivoli, 228
Tel: 00 33 (0) 1 44 58 10 10

Le Bar du Bristol
Hotel Bristol
Rue Fbg St Honoré, 112
Tel: 00 33 (0) 1 53 43 43 00

Le Bar du Crillon
Hotel Crillon
Place de la Concorde , 10
Tel: 00 33 (0) 01 44 71 15 00

Bar Hemingway
Hotel Ritz
Place Vendôme, 15
Tel: 00 33 (0)1 43 16 30 30


    Leia tudo sobre: drinqueparisplaza athénéeritzmeuricebristoltop 5

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG